6 coisas que todo LGBT gostaria que seus pais soubessem ao se assumir…

Um dos maiores dilemas na cabeça de qualquer LGBT, com certeza é o momento de contar para a família. O receio de decepcionar os pais, o medo da não aceitação, e em muitos casos, até o corte dos laços familiares ou a expulsão de casa. São muitas as questões e ameaças.

O nosso momento de sair do armário para os pais, é o momento de testar a homofobia de quem é a nossa base, e ver se, junto de nós, eles também saem do armário, ou mostram que também são vítimas do preconceito da sociedade condena seus filhos. A negativa neste momento, é muito triste, pois, se nossos pais não são por nós, quem será?

Mas afinal, o que a gente gostaria que eles soubessem neste momento, que para nós, também é muito difícil? Veja abaixo uma lista de 6 coisas que (pelo menos quase) todo LGBT gostaria que seus pais soubessem nesta hora.

Vale lembrar que a lista é parte retirada da obra “Um Livro para ser entendido”, que você pode adquirir.

1. EU NÃO MUDEI
Por mais que você não acredite agora, eu continuo sendo o mesmo. A diferença é que agora você sabe mis uma característica minha: por quem eu me atraio. Mas isso não muda nada. Você poderia até não saber, de repente, mas mesmo assim, decidi te contar pra não ter que esconder de você parte tão importante sobre quem sou eu. Mas fique tranquilo, mais uma vez, eu sou a mesma pessoa de antes. Bem, quase a mesma pessoa. Talvez só um bocado mais aliviado por ter me aberto e tirado um peso das costas ao finalmente te deixar saber isso, sem precisar mais te enganar ou fingir.

2. TAMBÉM TIVE QUE ME ACEITAR
Eu entendo que talvez seja difícil pra você aceitar isso de cara, afinal, também passei por todo um processo pra ME entender e ME aceitar bem antes de agora. Imagina você que está de fora então e não viveu essa situação na pele como eu, e está descobrindo isso só agora?! Eu te entendo, relaxa. Mas lembre-se que, se está sendo difícil pra você, muito antes disso, também não foi fácil pra mim.

3. POR QUE SÓ TE CONTEI AGORA?
Não se sinta traído. Se eu escondi essa minha característica de você até agora, foi só medo de que você me rejeitasse. Doeria demais. Mas a dor de ficar escondendo ou te enganando, se tornou maior do que o medo da rejeição. Também posso ter demorado um bocado pra colocar isso pra fora porque, antes de TE assumir, tinha que ME assumir, quero dizer, pra mim mesmo. E é um processo ainda mais difícil do que contar pra você!

4. ACEITA QUE DÓI MENOS
Não adianta me apresentar a filha do vizinho, arrancar meus pôsteres da Britney da parede ou me obrigar a jogar futebol. Eu posso até achar a vizinha bonita, posso saber a coreografia de Oops ou Me Against The Music, amar ou odiar o Timão e nada disso vai me fazer deixar de ser gay, assim como nada disso me fez ser hétero. É um desperdício de energia e tempo pensar que eu posso mudar ou que qualquer gosto influencie na sexualidade. Sai dessa e aceita, porque isso não vai mudar, ok? Até porque, bem antes de você saber, provavelmente já considerei muitas vezes essa hipótese e vi que não era possível.

4. SAIA DO ARMÁRIO VOCÊ TAMBÉM!
Calma! Eu não quero dizer que você pai seja gay, ou você mãe seja lésbica. Mas pais e mães de gays não só podem como devem sair do armário com seus filhos. Vocês podem tornar a vida do filho muito mais fácil quando não escondem que tem filhos gays. Muitos pais até se esforçam e aceitam pra si, mas aí escondem da família, dos amigos, evitam determinados assuntos por aí, criam namoradas imaginárias pro filho no churrasco da família, tudo pra ninguém saber que o filho é gay, achando que isso vai preservá-lo, ou preservar a própria imagem. Na realidade, isso apenas cria uma sensação no filho de que ele é errado e também deve esconder quem ele é. Faz um mal tremendo pra autoestima, autoimagem e segurança, além de passar a mensagem errada. Errada está a sociedade em não respeitar, não seu filho em ser simplesmente quem ele é. Pai ou mãe, você não devia gostar quando seu filho adolescente pedia pra parar o carro na esquina antes da escola, por vergonha de você, lembra? Pois bem, você estaria fazendo a mesma coisa de maneira muito, muito pior.

5. VOCÊ QUER CHAMAR ATENÇÃO!
É verdade que quando criança fiz muito pra chamar atenção, pra te contrariar ou simplesmente conseguir o que queria. Aliás, sou craque nisso desde cedo quando minha maior ambição era a próxima mamadeira. Mas sinceramente, o que eu iria conseguir contando que sou gay? Se é pra chamar sua atenção, certamente existem maneiras menos nocivas do que correndo o risco de levar uma lampadada na cabeça na Paulista.

6. EU TE AMO
Eu sou seu filho e acima de tudo e eu te amo. Espero que você me compreenda e me respeite, até porque nada pode doer mais do que ser rejeitado por quem a gente mais ama, principalmente se esse alguém é presente desde que nos entendemos por gente. Se você não me aceita, eu lamento muito, mas preciso ser eu mesmo. Ainda que eu venha de você, isso não significa que eu vá corresponder a todas a suas expectativas, até porque elas são suas e não minhas. E a vida é minha e não sua. De qualquer forma, serei paciente até que você busque conhecimento e reveja seus conceitos e preconceitos. E estarei aqui pra nos abraçarmos novamente quando você quiser. Agora, se você entende, muito bom! Fico ainda mais orgulhoso de você por não colocar o preconceito na frente da nossa relação. Claro que nosso amor não deixaria de existir de qualquer forma, mas fico muito feliz que ele tenha passado tranquilamente por essa prova e possa continuar sendo expressado e vivido incondicionalmente como deve ser.

O texto acima é parte integrante da obra “Um Livro para ser entendido”, que você pode adquirir neste link para ler na íntegra.

Deixe seu Comentários aqui na nossa Fan Page Facebook

error

Gostou deste Site? Por favor, espalhe a notícia para seus amigos:)