Operação policial prende 11 foragidos da Justiça

Manaus – A Polícia Civil deflagrou uma operação na terça (7) e quarta-feira (8), que resultou na prisão de 11 infratores, que estavam com mandados de prisão em aberto, por crimes como roubo, furto, estelionato e abuso sexual. Eles eram considerados foragidos da Justiça. Os alvos foram pessoas que moravam ou cometeram crimes na zona centro-sul de Manaus. De acordo com a titular da 5ª Seccional Centro-Sul, delegada Deborah Barreiros, os procedimentos iniciaram com as buscas e confirmação dos endereços dos infratores. Na zona onde a operação foi deflagrada, foram cumpridos mandados de prisão em nome de Aldeyce Cristine Rossy do Nascimento, 30, no bairro Parque Dez, pelo crime de furto; André Gomes Braga, 26, por roubo, no bairro Flores; e Luiz Pinheiro de Souza Neto, 48, por roubo, no São Geraldo.

“Nós levantamos 11 presos, fizemos 11 cumprimentos de mandados e ainda temos alguns outros mandados a serem cumpridos. Cinco são por estupro de vulnerável, foram cumpridas sentenças, temos crime de estelionato e roubo e furto também”, explicou Deborah Barreiros.

Outras prisões aconteceram em diferentes zonas da cidade. Jonathan Ferreira da Rocha, 30, foi preso por tráfico de drogas, no Centro de Detenção Provisória Masculino; Michel Frank Viera Rocha, 40, por furto, no bairro da Paz; e Thiago Guilherme Caliri Queiróz, 31, por estelionato, no bairro Ponta Negra, zona oeste da cidade.

Entre os infratores presos, cinco foram pelo crime de abuso sexual contra crianças e adolescentes, sendo um homem de 52 anos, preso no bairro Lagoa Azul, na zona norte; um idoso de 66 anos, no Parque Dez de Novembro; outra prisão aconteceu no bairro São Lázaro, na zona sul, de um homem de 43 anos; outro infrator de 38 anos, no bairro Alvorada, zona centro-oeste, e um homem de 47 anos, no bairro Lírio do Vale.

De acordo com a delegada titular da Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca), Joyce Coelho, a responsabilização dos autores nestes crimes, que vitimam menores, acabam trazendo a sensação de injustiça para a vítima. Quando infrator é preso, a vítima sente-se estimulada para seguir em frente. No caso dos mandados cumpridos pelo crime de estupro de vulnerável, os infratores tinham relação de confiança com a vítima.

“Todos os cinco mandados tinham vínculo de confiança. O estupro de vulnerável cometido no âmbito familiar traz consigo primeiramente um abuso de confiança, que é quando um padrinho, tio ou padrasto acaba abusando da confiança dessa criança para abusar dela sexualmente, então é um crime muito difícil de ser denunciado, mais difícil ainda ser investigado e de chegar até o final com uma sentença condenatória. Então, realmente é uma sensação de dever cumprido”, destacou Joyce Coelho.

Os infratores serão encaminhados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), e passarão por audiência de custódia, após os procedimentos cabíveis. A operação foi deflagrada com apoio da Depca e dos 12º, 16º, 22º e 23º Distritos Integrados de Polícia (DIP’s).

Deixe seu Comentários aqui na nossa Fan Page Facebook